segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Conversa alheia.

Conversa entre duas pessoas que acabaram de se conhecer:

- "Noss...a minina era nuvinha, tinha 19 anos. Era bunita dimais, paricia a Tainá du filme, sabe? Morreu de câncer...deu câncer na perna dessa minina que ela não cunsiguia nem fazê xixi de tão inchada".
- Você acha que quando a pessoa tem câncer assim nova é por maus hábitos?
- É o Diabo!

sábado, 19 de dezembro de 2009

De 50 centavos para 1real e 15 centavos: não mudou nada.

De tudo temos que tirar algo positivo. Senão ficamos doente, ou no mínimo muito nervosos.
Um exemplo é o tal do ônibus. Não existe nada pior que ficar quarenta minutos esperando seu ônibus chegar e aquela mulher tagarela escolher você para conversar. Acontece. Mas disso podemos extrair uma piada (dela ou da situação).
Bom...depois falo sobre minhas histórias no ônibus (e não são poucas), mas hoje estou com vontade de escrever sobre o eixão. Ele não me sai da cabeça. É como aquela música horrível que começa a cantarolar depois que aquele seu amigo chato começou a cantá-la.
Há tempos não andava de eixão e nem me lembrava mais o porque. Eu sempe achei que fosse por segurança que tinha o abandonado, mas acho que foi mais do que isso. Bom...foi mais do que isso sim!
Um belo dia na pressa para voltar para casa, tive que o pegar. Quatro horas da tarde. Duas pessoas entram bebendo cerveja Schin. Um deles faz questão de colocar a mão em cima da minha e pede desculpa com aquele sorrisinho de lado, do tipo:"eu sei o que estava fazendo, foi proposital! Eu não poderia deixar de provocar uma garota com a cara tão fechada assim".
E aquelas conversas mais absurdas e um entra e sai...Parece um matadouro, açougue, carnificina.
E sempre vai ter um cara no canto direito perto da janela que vai te olhar estranho (da cabeça aos pés) e então entra uma mulher com um salto enorme que você não entende porque ela quer ficar tão alta assim e ela escolhe o seu pé para pisar! 500 pessoas dentro de um ônibus e você é a escolhida (pelo menos em alguma coisa eu sou escolhida nessa vida-primeiro lado positivo).
E tirando os meninos melequentos, vomitadores e fedorentos, eu posso voltar em menos de uma hora (segundo lado positivo-mas mesmo assim, acho que prefiro esperar meus quarentas minutos para voltar para casa no ônibus não-eixão).

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

O fim que a farinha pode levar...

Esses dias escutei uma garota dizendo para amiga: "ninguém me faz de farinha, nem o papa!"
Ela estava bastante nervosa e só por isso percebi que a frase possui conteúdo negativo (ao menos para ela).
Mas eu penso de forma contrária. Acho que gostaria de ser feita de farinha.
Afinal, depois que o trigo e a mandioca viram farinha eles só podem se transformar em algo muito apreciado, tipo bolacha, biscoito, tapioca...esses carboidratos por aí.
Tenho certeza que se essa garota fosse transformada em farinha seria mais útil para a humanidade.

domingo, 29 de novembro de 2009

Ó céus...

"Me sinto um caco velho
Uma andorinha baleada na asa
Um bule sem verniz
na cristaleira da casa da tia
O abajur da sacristia
Um reserva que aquece
mas não entra e esfria

Um galo de briga bravo
que despenca do poleiro
Um coronel empalhado
no museu de Juazeiro

Um beato de novela
que cria em casa um lobisomem
Um matador de aluguel
assassinando a própria fome

Um sabonete de motel
Um jagunço de internet
Um vira-lata de butique
Um tamborete de forró
numa quadra de basquete"

Sono...

ZZZzzZZzzZzZzZ







- Ok. Mas se eu fosse uma escritora, assim como Paulo Coelho é, essa seria considerada uma grande obra que retrata os relacionamentos nos tempos atuais, onde exponho de forma bem sútil o comportamento do homem contemporâneo.




"fiz essa canção só pra você
mas pra quê?
se você gosta só de mpb
e eu sou puro
puro rock'n'roll
com meus três pobres acordes
meu bem acorde
venha ver meu show"




sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Questionário íntimo.


Essa semana recebi muito desses questionários no meu e-mail.
Na verdade, sempre os recebo e na maioria das vezes respondo (a falta do que fazer é incrível nessas horas) e também acho divertido saber um pouco mais das pessoas com quem convivo.
Mas como estou com um pouco de preguiça e até achando chato esse tipo de e-mail, resolvi responder esse questionário aqui, para nunca mais ter que responde-lo a mais ninguém. A não ser que algo de muito incrível aconteça comigo, do tipo: mudar de sexo, matar alguém ou ser morta.
E o fato de quase ninguém ter acesso a esse blog irá me deixar mais a vontade.
haha

Divirtam-se.


01 - nome?
Camila

02 - Quantidade de velas no teu último aniversário?
Não tive bolo e muito menos velas no meu último aniversário.
Mas se quer saber minha idade, 21.

03 - Tatuagens?
Nenhuma. Morro de vontade de fazer. Na verdade só falta escolher o desenho, juntar a grana e a coragem e escolher o lugar...xD~~

04 - Piercings?
Tive um na orelha que não deu certo. Se eu não tivesse tanta alergia colocaria novamente, na orelha e no nariz.

05 - Já foi à África?
Não. Mas quero ir.

06 - Já ficou bêbado?
Duas vezes para nunca mais.=]

07- Já chorou por alguém?
Muitas vezes.

08 - Já esteve envolvido em algum acidente de carro?
Não que eu me lembre. Alguns acidentes fazem você perder sua memória.

09 - Peixe ou carne?
Caaaaarne.

10 - Música preferida?
Várias! Depende do momento.

11- Cerveja ou Champanhe?
Cerveja.(nunca bebi champanhe o.O).

12 - Metade cheio ou Metade vazio?
metade.

13 - Lençóis de cama lisos ou estampados?
Tanto faz.

14 - Filme preferido?
Difícil escolher... mas posso citar alguns: peixe grande, tomates verdes fritos e aquele dos velhinhos que fogem do hospital pra viver os últimos dias por aí...

15 - Flores?
Girassol.

16 - Coca-Cola simples ou com gelo?
Com gelo (mas meus dentes são sensíveis e às vezes isso pode ser doloroso para mim).=(

17 - Quem dos teus amigos vive mais longe?
Karina.

18 - Cor predominante no seu guarda-roupa?
Azul e preto.

19 - Quantas vezes você deixa tocar o telefone antes de atender?
Se estou do lado do telefone, uma. Se estou longe deixo tocar o tanto que der até eu conseguir chegar ao telefone.

20 - Qual a figura do seu mouse-pad?
Nenhum

21 - Pior sentimento do mundo?
Impotência perante alguma situação.. E nem precisa ser sexual.

22 - Melhores sentimentos do mundo?
Deve ser ganhar na mega sena, com aquele prêmio mega acumulado.

23 - O que uma pessoa não pode ter para ficar com você?
Mau gosto, maus hábitos, falsidade e falta de personalidade.

24- Qual o primeiro pensamento ao acordar?
Que horas são?

25- Qual o último pensamento antes de dormir?
Depende.Se estou com muito sono eu nem penso.
Se estou sem sono fico pensando na minha vida, o que fiz, o que deixei de fazer, aí fico louca e acabo perdendo o sono de vez.

26 - Se pudesse ser outra pessoa, quem seria?
Sei lá, eu mesma só que daqui uns 3 anos.


27 - O que você nunca tira?
Uai...meu pé, minha mão e meu olho.
De vez eu quando eu tiro minha orelha (ela me incomoda quando durmo...fica encostando no travesseiro, disputando espaço com minha cabeça...essas coisas que atormentam todo mundo).

28 - O que você tem debaixo da cama?
Sujeira. Semana passada encontrei metade de um pão de queijo. Eu acho que última vez que comi pão de queijo foi quase a um mês atrás.

29 - Qual livro vc está lendo?
A cientista que curou seu próprio cérebro.
É sobre uma neurologista que teve um AVE e conta sua experiência, o que ela sentiu e como reconhecer quando você está tendo um.
Acho importante todos lerem. Ao menos o capítulo que fala como reconhecer quando está tendo um AVE. É a doença do século. Estima-se que 400 pessoas por ano de cada 100.000 sofrerão um AVE, nos países ocidentais (dados não retirados do livro). Isso que dá não comermos peixe cru!;)
Bom...acho que as pessoas que começam a estudar muito também ficam bitoladas. Quando essa cientista percebeu que estava tendo um AVE em vez de pedir ajuda ela ficou lá estudando quais áreas do seu cérebro eram tomadas de sangue à medida que sofria alguma alteração no seu corpo. Uma loucura.

30 - Uma saudade?
Muitas coisas e pessoas.

31 - Uma característica tua?
Nossa...acho que sou tolerante e passiva demais.

32 - Decepções que tive em minha vida:
ih...nenhuma que tenha me tirado a vida.

33 - Lugares em que morei:
Goiânia. Mesma rua, mesmo prédio, desde sempre.

"Veja o mundo passar
Como passa
Uma escola de samba
Que atravessa
Pergunto onde estão
Teus tamborins?
Pergunto onde estão
Teus tamborins?
Sentado na porta
De minha casa
A mesma e única casa
A casa onde eu sempre morei
A casa onde eu sempre morei
A casa onde eu sempre morei..."

34 - Programas de TV que assistia quando criança:
Vários, mas os que eu mais gostava: Doug, Punk a levada da breca, O fantastico mundo de Bob, Castelo Ra Tim Bum, pica pau, X tudo, família dinossauros, Caverna do dragão...

35- Programas de TV que assisto hoje:
Eita...não assisto nada.

36 - Lugares em que estive e voltaria:
Eu gosto de viajar...mas não tenho nenhuma vontade desmedida de voltar a algum lugar que já fui e sim conhecer lugares novos.

37 - Formas diferentes que me chamam:
Ah...ultimamente só escuto "Camila" mesmo.


38 - Comidas Favoritas:
Batata frita, churrasco, arroz com strogonoff.

39 - Lugar em que desejaria estar agora
Aqui mesmo está bom.

40 - Espero que este ano eu possa:
Chegar ao ano que vem. O ano está acabando. Não dá para esperar muita coisa.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

domingo, 22 de novembro de 2009

Mentira.

É muito engraçado quando você descobre alguma coisa de alguém que está intimamente ligado a você e essa pessoa continua mentindo e você começa a ficar com um ódio seguido de tristeza com a mentira do outro. E o pior que na maioria das vezes você nem pode contar que sabe da verdade, geralmente por dois motivos: ou você pegou as informações verdadeiras de uma forma não muito digna ou alguém te contou e você não pode colocar o nome dessa pessoa no assunto.
Hoje eu estava pensando em como as coisas chegam até a mim.
Até hoje eu descobri tudo que queria e que não queria da forma mais estranha possível.
Eu já descobri coisas absurdas depois de um ano de acontecimento, mas descobri.
Já usei do método não digno para descobrir algo e também já me contaram coisas de meu interesse sem saber que eu estava envolvida no caso.
Eu acho que meu anjo deve gostar demais de mim e me manda esses sinais para ver se eu começo a parar de gostar de sofrer e me afasto desses pessoas que adoram fazer isso comigo.
Porque poxa...se mente, bom sinal não é. Culpa tem e não se importa com o que você sente e o pior: duvida da sua capacidade de descobrir as coisas...enfim!Te acha burra mesmo.
E eu não sei lidar com essas coisas.
Me da vontade de mandar a pessoa pra PQP duas vezes!
Mas eu ainda sou idiota. Mas acho que não por muito tempo.
Ah!Como se possível:"Hoje eu sou idiota, amanhã não vou ser mais".
auhauhauhaah
Aiai...bobeira.
Quando você percebe que a pessoa menti para você e quando esse mentir é muito e pode te fazer mal parece que você vai criando uma aversão a tal pessoa, parece que perde o respeito por ela.
Não sei...mas tem coisas que eu preferia que tivessem ficado guardado.
Enterrado.
Para sempre.
Amém.

sábado, 14 de novembro de 2009

You’re the reason why the opera is in me…

Entrei na cozinha e disse:
- Nossa pai, sabe quando vou entrar de férias? Só dia 23 de dezembro!
- Nossa filha, sabe quando eu tive férias? Nunca.
Saí da cozinha.




video

Eu odeio a Indiane.

Não. Eu não sou tão corajosa assim a ponto de sair por aí dizendo que odeio tal pessoa.
Na verdade eu nem conheço a Indiane.
Mas não gosto dela nem dos seus amigos que ligam para ela de madruga. Ou para mim.
É melhor eu explicar.
Essa tal de Indiane resolveu passar seu número de telefone errado para todas as pessoas que ela conhece (acreditando que ela conhece umas 5 pessoas apenas) ou o telefone dela é tão parecido com o meu que ninguém consegue ligar para ela sem antes ligar para mim.
Eu nem atendo mais o telefone na parte da manhã. Principalmente antes de 8 horas.
Eu não sei quantas vezes eu levantei da cama assustada, com a cara inchada, com remela no olho e o cabelo desgrenhado para atender um telefonema, achando que era algo importante (porque se me ligam muito cedo ou muito tarde eu já penso que é tragédia) mas sempre é alguém atrás da Indiane.

Também ligam muito aqui em casa pensando que é uma clínica. Acho que Clínica São Tadeu...algo assim.
Mas depois que uma mulher ligou aqui chorando e perguntando se aqui era a tal clínica eu parei de reclamar desses telefonemas.

Acontece.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Eu devia ter dito isso. Droga!

Quem nunca chegou em casa se remoendo por não ter dito a coisa certa na hora certa?
Porque as respostas mais exatas não aparecem quando devem aparecer?
Deve ser porque na hora em que ocorre a coisa toda você está tão nervosa que só pensa em esganar a pessoa e esquece de usar sua sagacidade e inteligência.
Quantas vezes não perdemos o sono por pensar que devia ter dito isso e não aquilo, que devia ter falado tal coisa e terminado o assunto com aquela frase de efeito.
Bom...eu sou ótima nisso.
Mas não pensem que eu perco o sono por não ter dito o que queria na hora certa. Dizem que a hora certa somos nós quem fazemos, não é?
E o telefone serve para que? Para você ligar para a pessoa e jogar na cara dela a tal frase de efeito que faz toda diferença na conversa (pelo menos para você).
Comigo não tem problema.
Se eu chego em casa e acho que deveria ter complementado uma conversa ou desfeito algo eu ligo para a tal pessoa envolvida no assunto e solto a frase de efeito: "Olha fulado...só para deixar claro, blablablabla."
A pessoa do outro lado da linha só pode ter duas reações:
Primeira: Ela diz: "Tá então." (ela não liga a mínima para o que você diz, mas pelo menos você vai conseguir dormir).
Segundo: Ela diz: "Han?Não é bem assim..."(ela liga para o que você diz, mas nesse momento deve estar pensando que você é maluca. Mas você também vai conseguir dormir).
E pronto!
Boa noite!

sábado, 7 de novembro de 2009

Como tudo na vida.

Eu nunca tinha visto alguém assim.
"Ela parece chorosa, infeliz . Deve ser a garota mais triste que já segurou um martíni".
Essa seria a definição daquela garota trancada a meses em casa.
Com o cabelo desarrumado e uma pontada de nostalgia na voz já rouca de tanto chorar, ela me disse que caiu na armadilha que plantou no coração.
Não faça isso rapaz. Não novamente. Não a leve para o caminho que você sabe que tem fim logo alí na esquina.
Tudo que ela queria era ensinar, mas acabou aprendendo.
Da pior forma.
Como tudo na vida.
É isso o que ela pensa. Ela ainda se sente culpada por agir errado na tentativa de raparar os erros dele.
Ela sempre achou que não precisava, mas descobriu o que a mantinha ainda viva.
Como tudo na vida.
Talvez ela só precisasse ir até alí na esquina mesmo. Mas ficar parada lá não pode ser a melhor decisão.
Ela quis parar no meio do caminho, mas o rapaz prometeu quebrar a parede que fica no fim da rua.
A força para derrubar esse muro está com ele.
Então não se sinta mais culpada, garota.
Nem pense em como teria sido.
O rapaz prometeu segurar as ferramentas para quebrar o muro, mas você nunca o viu carregando-as por aí.
Agora não tem volta.
Pelo egoísmo de cada.
Como tudo na vida.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

90% dos homens que conheço...

...são assim:




Os outros 10% são assim:

90% das garotas que conheço...

...são assim:
Falam MUITO sobre qualquer coisa, mesmo que não tenham a mínima noção do que se trata e usam termos difíceis no meio da frase só para repassarem uma imagem de pessoa interessante.
São super sorridentes, falam besteira e não se importam com porra nenhuma (aparentemente).
Costumam aprender sobre as coisas que o carinha da vez gosta e esquecem do que elas gostam.
Adoram chapar o coco e beijar outras garotas, afinal, elas possuem mente aberta e mulheres são melhores que homens (mas na verdade ela é apaixonadíssima por aquele cara que não dá a mínima para ela, ou se dá, ela quer mostrar para ele que é uma garota aberta e independente).
Possuem milhares de amigas que elas fazem questão de chamar de "amiga" no lugar do nome, mas elas sabem que na primeira oportunidade uma vai passar a perna na outra. São colegas até que uma não precise mais da outra para sair por aí e beber uma cervejinha. E sim...o tal do homem ainda é o maior causador de divórcio entre amigas. Um absurdo, não?
O pior acontece quando a guria termina um relacionamento. Parece que ela quer conquistar o mundo em uma noite! E nem é para se sentir bem e sim para alguém ver e contar para o namorado (ex) o quanto ela está se divertindo e o quanto não se importa com o que aconteceu (mas vamos ser sinceros...se não se importasse mesmo ela estaria na dela, ou pelo menos saindo normalmente), ah sim...e depois querem passar a imagem de independente para as pessoas...mas como se tudo que ela faz é pensando em como isso vai atingir o dito cujo?

Uh, Tudo Creuza Doida.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

O que faz você feliz?



Todos já escutaram essa frase seguida de belas imagens de famílias reunidas ao redor da mesa, felizes por estarem juntos comendo um pão quente com manteiga.
E eu me pergunto: quem realmente enxerga felicidade nas pequenas coisas da vida? Considero isso muito difícil, diria até que humanamente impossível.
Posso até acordar e ver que tem pão de queijo na mesa do café da manhã e dizer: "Oba!Pão de queijo", mas meu dia não vai mudar por isso. Eu não vou me tornar mais feliz nem mais bonita por ter comido uma das coisas que mais gosto e isso também não vai me fazer pensar que aquele vai ser um grande dia.
Se a felicidade está realmente nessas coisas, começo a duvidar se algum dia realmente fui feliz. E duvido que você tenha sido também.
Já que SER feliz é tão difícil, podemos então aproveitar os momentos em que ESTAMOS felizes e nos agarrar ao que nos proporciona essa tal felicidade.
Seja um objeto, uma pessoa ou um pão quente com manteiga.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Brasília.



Ontem foi a quinta vez que fui para Brasília.
E pela quinta vez não foi a passeio.
O engraçado é que nas três primeiras vezes que fui lá odiei a cidade, as pessoas (ou melhor, a falta delas), a disposição dos bairros e do comércio. Não é engraçado, mas é o modo dizer, enfim... Vocês entenderam.
E das duas últimas vezes eu acabei me encantando pela Capital Federal.
O céu parecia tão azul da quarta vez e tão cinza na quinta. A arquitetura sobressaiu aos meus olhos e eu descobri onde as pessoas se localizam (dentro do senado federal).
Nem as 10 horas sem comer na viagem de ontem, a aprovação do ato médico e minha única refeição do dia ter como cardápio um salgado duro e torrado às 21h me fez achar que tudo foi uma droga.
E a sensação que a cidade estava girando (por causa da minha hipoglicemia) deu um toque especial nesse meu novo sentimento por Brasília.
Talvez o fato das primeiras vezes que fui até lá tenha sido para fazer vestibular influenciou um pouco nessa minha visão distorcida.
Ou talvez eu esteja iniciando um processo de paz na minha vida.
Paz com tudo, inclusive com cidades.

E ah sim!
Eu parei de escutar somente três músicas diariamente.
Essa parte voltou ao normal. Bom, não?!
Estou com o repertório bem amplo agora, mas tenho que confessar, a maior parte é recheada de Aerosmith.
Começo a acreditar que isso aqui é uma boa terapia. Se eu fosse psicóloga ficaria preocupada com essas tecnologias que 'substituem' a profissão. Porque eu juro que se não tivesse feito esse blog estaria agora em um consultório de psicologia.
Hum...que propaganda,hein?! Será que os donos do site vão me pagar por isso?
Espero que sim.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Revolto.

Ando tão confusa ultimamente que meus cinco maiores desejos são opostos uns aos outros.
Na verdade, eu nem sei se são cinco mesmo, talvez não seja nem um, mas eu acho que ele existe guardado dentro de mim. Ou fora. Nunca se sabe.
Pior que Eulálio do livro Leite Derramado. Histórias de minha vida que eu faço questão que sejam narradas de acordo com minha vontade, minhas lembranças que não são as mesmas de quem viveu o mesmo efeito mas nunca o mesmo sentimento. Aí nota-se a diferença. Mesma história e personagens diferentes: contos opostos.
Acho que a única parte inalterada foi meu currículo musical (por assim dizer). Na verdade ele anda até reduzido. Muito. De uma semana para cá todos os dias escuto duas músicas. Primeiro uma, depois outra, depois volto para a primeira e assim segue (ou melhor, não segue, volta) . Quando meu ouvido se acostuma ao som (eu juro que depois de um tempo eu paro de escutar a música mesmo que ela ainda esteja tocando - tem um nome para isso que não recordo agora, mas é uma adaptação do organismo, quando lembrar posto aqui) eu passo para uma terceira música (que é sempre a mesma) até que desligo tudo e vou me concentrar em outra coisa.
Isso só pode fazer parte dessa minha confusão. Se Eulálio contava as mesmas histórias sempre, só que com mudanças de acontecimentos, eu escuto as mesmas músicas sempre, só que sem alterar a ordem. Isso só prova que estou melhor que ele. Por enquanto.
Para quem quer fazer parte desse acontecimento de grande relevância na minha vida pode escutar as músicas. Mas por favor, siga a ordem.

Primeiro:

video


Segundo(não pode ser outra versão - Mary J. Blige tem a voz muito foda):

video

Para quando se cansar:

video

Hum...acho que essa é uma ordem de minha preferência. Ordem crescente, para deixar claro.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Diário de uma greve.

Quando você passa por uma greve (ou duas) percebe que o único que será prejudicado é você.
Porque inevitavelmente ficará no ócio. E você vai ficar sem ter o que fazer quando você mais precisa se manter ocupada.
E entrar em comissões de greve, estudar em casa, fazer manifestações não resolve seu tédio. Isso não dura o dia inteiro.
Não adianta. Quando a desgraça vem, vem de uma vez, em um rodízio bem servido, com muitas opções, mas você não pode escolher o que comer. Eles te fazem engolir, um prato atrás do outro. Sem tempo para mastigar.
Vamos por ordem.
Você perde seu companheiro que você nem sabe mais se algum dia foi companheiro mesmo. Depois você percebe que seus amigos estão afastados (na verdade, eles sempre estiveram, mas você tinha seu companheiro para suprir essa falta. E não...a culpa não é sua). Então você pensa:"Oba!Melhor época para me dedicar aos estudos". Ahan...seria...se sua faculdade lotada de estudantes burros e egoístas (que votaram tanto a favor quanto contra) não entrasse de greve.
O bom é que nessa época mesmo que você conhece as pessoas realmente. Seus amigos, seus colegas, a pessoa que está ao seu lado, a ignorância dos demais. Afinal, você tem tempo para pensar no que quiser. Só cuidado para não ficar temerário demais.
É um sentimento escuro, ridículo e insignificante que toma conta de você. Parece que não passa, e o pior: você não tem a quem recorrer.
E você pensa: "a culpa só pode ser minha". E é.
Acho que estou enlouquecendo.